segunda-feira, 11 de maio de 2009

Classes D e E impulsionam o crescimento nacional

"A crise financeira mundial abateu de formas distintas os brasileiros. Ao que parece, a população de menor poder aquisitivo foi a que menos sofreu. É o que dizem consumidores da base da pirâmide e empresários, segundo pesquisa do instituto LatinPanel.

Entre os entrevistados, 30% da classe C afirmam que a crise afetou sua situação econômica, 28% se sentem abalados na classe A e 26% nas D e E.

A conclusão do estudo, segundo Ana Fioratti, diretora da LatinPanel, é que as classes D e E podem estar se configurando como a nova classe emergente. Desde 2007 é a faixa de consumidores que mais contribuiu para o crescimento da base de faturamento do varejo. Além disso, é a parte da população com menor comprometimento das finanças com dívidas.

As classes D e E correspondem a 42% da população brasileira e 34% dos consumidores."



Para mim parece claro que o crescimento sustentável de um país está em uma classe média de maior renda e consumidora. É por isso que eu aposto firme no crescimento do varejo e do país como um todo: tem muito mais gente com dinheiro no bolso!
asa

Nenhum comentário: