terça-feira, 28 de julho de 2009

Vendas de 3G estagnaram. Qual a solução?

"A crise econômica prejudicou o crescimento dos celulares de terceira geração (3G) no mercado brasileiro. Mais de um ano após as empresas iniciarem campanhas agressivas de lançamento, os aparelhos com a nova tecnologia, que permite acesso rápido à internet, representam apenas 1,19% do mercado, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Para os analistas do setor, alguns fatores atrapalham os planos das fabricantes de aparelhos 3G. O consumidor não vê vantagens nos aplicativos que justifiquem pagar mais caro por eles em época de crise. A área de cobertura da nova tecnologia ainda é restrita. E a estratégia das operadoras para a tecnologia 3G é privilegiar as vendas dos modems - que permitem ligar o computador à internet via celular -, ao invés dos aparelhos."

Mais aqui, no blog do Renato Cruz.

O problema começou por um motivo simples: o 3G foi posicionado como uma alternativa de acesso a banda larga, competindo diretamente com serviços como Speedy e Virtua, sendo muito vendido com notebooks e netbooks - algumas operadoras até subsidiaram a compra de netbooks! Quando vemos as definições do serviço 3G (na Wikipedia ou no Teleco, por exemplo) dá pra perceber que a grande vantagem do 3G não é simplesmente acessar a Internet, mas acessar a Internet de qualquer lugar!

Na minha opinião, a melhor estratégia para aumentar as vendas de 3G passa por três pontos importantes:

  • Aparelhos com o serviço 3G mais baratos
  • Planos com o serviço 3G mais baratos (e antes que alguém me crucifique falando que baixar preços não é estratégia de vendas, o Comitê Gestor da Internet fez uma pesquisa e descobriu que 13% das pessoas que nunca acessaram a Internet na classe social AB alegam preço caro do acesso)
  • Deixar claro para o consumidor qual o benefício que o 3G no celular oferece, para casar a vontade de acessar com a disposição de pagar
Parece simples - basta ouvir o consumidor. Mas na verdade não é, principalmente porque as operadoras de telefonia são as empresas mais reclamadas no Procon. E enquanto este problema não for resolvido, as vendas vão continuar a enfrentar problemas...

Nenhum comentário: