terça-feira, 26 de agosto de 2008

Lojas Próprias

"É interessante observar o avanço da Indústria para o Varejo, seja através da criação de lojas conceito (quase sempre próprias), ou da implantação de redes de pontos de venda monomarca (quase sempre compostas por uma mescla de unidades próprias e franquias). As lojas conceito tendem a se prestar mais à simples divulgação da marca e de toda a sua linha de produtos, enquanto os pontos monomarca tendem a se focar na venda propriamente dita, embora também exerçam papel promocional importante.

Pode parecer um paradoxo, mas essa onda se revela mais clara precisamente no caso de marcas que já são fortes e gozam de reputação e imagem de qualidade, marcas que já consituem objeto de desejo de uma grande camada de consumidores, como Apple, Timberland, Nike e outras do mesmo naipe"

Leia mais aqui, no Blog do Cherto.

O Marcelo Cherto está certo: a loja própria, mais que vender, tem um papel de referência no mercado em termos de atendimento e mix de produto, demonstrando produtos e despertando desejo - que pode até ser satisfeito em outro PDV. Para vender, o arroz com feijão (leia-se usar argumentação de vendas, trabalhar um mix de produtos combativo, envolver o consumidor), normalmente é necessário um empreendedor com visão de mercado e sede de lucros.

Nenhum comentário: